×

Quer passar na entrevista de emprego? Veja que comportamentos devem ser evitados

Quer passar na entrevista de emprego? Veja que comportamentos devem ser evitados

Continua após a publicidade..

As entrevistas de emprego virtuais se mostraram uma excelente saída para as empresas no cenário pandêmico e, ao que tudo indica, continuarão sendo amplamente adotadas pelos recrutadores, mesmo com a retomada da economia e a volta aos escritórios. Agora, porém, de forma mais “híbrida”.

“A tendência é que as primeiras interações continuem acontecendo por meio de chamadas de vídeo e, à medida que o processo seletivo for avançando, os profissionais sejam convocados para entrevistas presenciais, olho no olho”, afirma Thiago Melo, CEO e headhunter da Sim Carreira, consultoria de recursos humanos digital. “Seja como for, o importante é aproveitar ao máximo a oportunidade para mostrar, por A mais B, o quanto seu perfil, suas competências e habilidades são de fato compatíveis com a cultura da organização e a vaga em questão.”

A seguir, o especialista destaca alguns adjetivos que costumam qualificar determinados candidatos – e devem ser evitados a todo custo em prol da conquista de seu emprego dos sonhos na empresa desejada:

Despreparado

A falta de conhecimento do candidato sobre os requisitos do cargo e a atuação da companhia é um erro comum, para não dizer fatal. E não basta entrar no site, ler algumas informações e achar que é o suficiente. É importante pesquisar a cultura da organização, bem como os desafios que ela está enfrentando atualmente. Isso demonstra que você fez sua lição de casa e está levando a entrevista a sério.

Disperso

No caso da reunião por vídeo, em especial, é preciso não apenas certificar-se da qualidade da internet, mas também de não ser interrompido durante a conversa. Para isso, o ideal é desligar o celular (silencioso não vale) e as notificações de e-mail – que distraem e atrapalham a dinâmica do encontro.

Desinteressado

Policie-se para não parecer entediado, deixando claro o quão entusiasmado está em ocupar a posição.

Desatualizado

Busque sempre se informar sobre tendências, novas técnicas e ler as notícias do seu segmento. Dessa forma, você poderá mostrar ao recrutador que é capaz de oferecer soluções condizentes com a atualidade.

Arrogante

Autoconfiança é importante, mas procure não exagerar na dose, vangloriando-se de seus talentos e suas vitórias, pois isso pressupõe um obstáculo para o trabalho em equipe.

Individualista

Começar a maioria das frases usando a primeira pessoa do singular – “eu criei”, “eu fiz”, “eu conquistei” – pode dar a impressão de que o candidato está tomando o crédito por um projeto no qual ele teve uma pequena participação, e não algo que desenvolveu ou pelo qual foi responsável.

Genérico

Seja prático e vá direto ao ponto, dê exemplos concretos sobre sua experiência profissional e, é claro, não deixe de citar resultados. “Se a pessoa só fica no macro, o entrevistador não tem como compreender de que forma ele pode realmente agregar ao cargo e ao negócio”, afirma Melo, da Sim Carreira.

Robotizado

Evite adotar uma postura rígida e séria demais. Quanto mais natural e espontâneo você parecer, maiores as chances de estabelecer empatia com o recrutador.

Tenso

Tente controlar ao máximo a ansiedade e o nervosismo para não “travar”, esquecer informações importantes, encurtar o discurso, gaguejar e por aí afora.

Indelicado

Entrar na reunião atrasado, atender telefone durante a conversa, olhar para os lados o tempo todo ou envolver-se em atividades paralelas são atitudes que passam uma mensagem negativa a seu respeito.

Desleixado

Mesmo a entrevista sendo por vídeo, ninguém está isento de apresentar-se com a pele limpa e os cabelos penteados e arrumados. E, é claro, sem cara de sono. O resto você também já deve ter ouvido falar: maquiagem discreta para as mulheres, barba sempre bem-feita ou cortada para os homens, roupas limpas, bem passadas, discretas e adequadas ao nível de formalidade da companhia.

Inflexível

Declinar do convite para conversar com o recrutador por conta de questões pontuais, mesmo antes de entender o todo, pode colocar boas oportunidades a perder. “A vaga em princípio pode não parecer exatamente o que o candidato está buscando, mas o fato de brilhar na entrevista muitas vezes pode levar o empregador a adequar o escopo da posição, turbinar a remuneração ou alocar o profissional para outra área, a fim de atraí-lo para seus quadros”, explica Melo.

Verborrágico

Falar sem parar também não ajuda em nada. O ideal é dar respostas curtas, objetivas, sem floreios nem apêndices, e sempre focando nas perguntas feitas.

Monossilábico

A entrevista pressupõe um diálogo. Não perguntar nada ou dar respostas binárias e fechadas diante de questões abertas pode representar um problema sério, principalmente se “boa capacidade de comunicação” for um requisito claramente exigido na descrição da vaga.

Confuso

Sua trajetória profissional deve seguir uma ordem cronológica, com começo, meio e fim. Quando o candidato não consegue concatenar fatos nem ideias, fica difícil para o entrevistador saber como ele se encaixa nas exigências do trabalho.

Inseguro

Olhar nos olhos do recrutador enquanto fala (mesmo via tela), manter uma posição ereta e um tom de voz firme, gesticular de modo discreto e seguro. Tudo isso é altamente aconselhável. “Alongar-se demais em justificativas relacionadas à saída do emprego anterior é outro indicativo de insegurança”, afirma Melo.

Emotivo

Mostrar-se aflito demais em conseguir o emprego pode levar os postulantes ao cargo a discorrerem sobre sua vida pessoal e suas dificuldades ao longo da entrevista. “Muita gente tem histórias sofridas para contar, o que é legítimo, mas emplacar ou não o emprego vai depender basicamente de mostrar seu fit com a empresa e a posição. Concentre-se nisso.”

Afoito

Abordar temas como salário, benefícios, promoções e férias logo de cara pode causar má impressão, indicando que você está à procura de uma vaga pelos motivos errados. Ligar ou enviar e-mails a todo momento buscando informações sobre o processo seletivo, idem. Se o recrutador alinhou um prazo com você, respeite esse tempo e não fique cobrando respostas.

Negativo

Evite falar mal do emprego anterior, ou do ex-chefe, bem como focar sua fala em problemas, em vez de soluções. É claro que isso faz parte e o recrutador certamente vai querer saber como você contornou eventuais conflitos e situações difíceis. Mas evite transmitir a ideia de que seria uma influência negativa para a empresa e os times.

Incoerente

Contradizer-se ou mentir sobre qualificações, habilidades, cursos e afins é o mesmo que dar um “tiro no pé”. Lembre-se de que as informações podem ser sempre comprovadas. Além disso, os recrutadores sabem quando não há sinceridade na exposição dos candidatos. Como no dito popular: “confiança quebrada, nunca recuperada.”

Preconceituoso

Comentários inadequados e discriminatórios? Pode dar adeus à vaga. Sem mais.

Sem rumo

A partir do momento que você conhece bem tanto as suas qualidades quanto limitações pessoais, sabe o que quer e aonde quer chegar, as chances de fazer parte da organização se tornam potencialmente maiores.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).



VER MATÉRIA ORIGINAL

Continua após a publicidade..