×

pronto para trabalhar condicionalmente com os EUA

pronto para trabalhar condicionalmente com os EUA

Continua após a publicidade..

O presidente da China, Xi Jinping, fala durante uma reunião bilateral com o presidente dos EUA, Donald Trump, na propriedade Mar-a-Lago de Trump em Palm Beach, Flórida, 7 de abril de 2017.

Carlos Barria | Reuters

PEQUIM – Antes de uma reunião virtual esperada com o presidente dos EUA Joe Biden, o presidente chinês Xi Jinping disse que o país está disposto a trabalhar com os EUA – sob condição de respeito mútuo.

Pequim normalmente usa o termo “respeito mútuo” ao pedir uma comunicação mais favorável com os EUA

“No momento, as relações China-EUA estão em um momento histórico crítico”, disse Xi, de acordo com uma carta endereçada ao Comitê Nacional de Relações EUA-China, uma organização sem fins lucrativos com sede em Nova York.

“Ambos os países vão ganhar com a cooperação e perder com o confronto”, disse Xi na carta. “Cooperação é a única escolha certa.”

Biden e Xi são programado para realizar uma reunião virtual já na próxima semana, informou a Reuters algumas horas antes da leitura da carta, citando fonte familiarizada com o assunto. No início de outubro, a CNBC informou que os dois líderes planejavam realizar essa reunião antes do final do ano.

“Seguindo os princípios de respeito mútuo, coexistência pacífica e cooperação ganha-ganha, a China está pronta para trabalhar com os Estados Unidos para melhorar o intercâmbio e a cooperação em todos os setores”, de acordo com a carta.

Ele foi lido em inglês pelo embaixador da China nos EUA, Qin Gang, durante a gala anual do Comitê Nacional de Relações EUA-China. O evento foi transmitido ao vivo na manhã de quarta-feira, horário de Pequim.

Xi também disse que a China gostaria de trabalhar com os EUA para “tratar de questões regionais e internacionais, bem como de desafios globais”.

Ele acrescentou que os dois países precisam “administrar adequadamente as diferenças” nesse ínterim, “de modo a trazer as relações China-EUA de volta ao caminho certo de um desenvolvimento sólido e estável”.

No geral, os comentários de Xi mantiveram o tom firme e calmo da maior parte da linguagem de Pequim sobre as relações com os EUA, em vez de alguns dos comentários mais duros que as autoridades chinesas fizeram nos últimos meses.

A carta chega no momento em que Xi deve consolidar ainda mais seu poder em uma reunião política de alto nível em Pequim esta semana. O líder chinês aboliu os limites do mandato presidencial, permitindo que ele permaneça além de dois mandatos.

As tensões entre os EUA e a China aumentaram nos últimos anos.

O antecessor de Biden, o ex-presidente Donald Trump, começou a adotar uma postura dura em relação à China, começando pelo comércio. Trump cobrou tarifas sobre bilhões de dólares em importações da China e colocou várias empresas chinesas de tecnologia em uma lista negra que as impede de comprar suprimentos essenciais de empresas americanas.

O governo Biden manteve a posição dura de Trump e trabalhou mais com os tradicionais aliados dos Estados Unidos para exercer pressão coletiva sobre Pequim.

Xi se juntou a Trump no envio de mensagens de parabéns ao jantar de gala do Comitê Nacional das Relações EUA-China em 2017, de acordo com a embaixada chinesa nos EUA Naquela época, Xi usou uma linguagem semelhante à desta semana, observando que os dois líderes concordaram em “lidar adequadamente com as diferenças com base no respeito mútuo”.

VER MATÉRIA ORIGINAL

Continua após a publicidade..