Uber, DoorDash, Coinbase e muito mais

Uber, DoorDash, Coinbase e muito mais

Entrega Uber Eats

Jonathan Raa | NurPhoto via Getty Images

Confira as empresas que fazem manchetes nas negociações do meio-dia.

Uber, DoorDash – As ações da Uber caíram 4,6% e DoorDash caíram 9% com a notícia de que a Amazon concordou em participar do Grubhub em um acordo que dará aos assinantes Prime uma associação de um ano ao serviço de entrega de alimentos.

Coinbase – A Coinbase caiu 3,1% depois que a Atlantic Equities rebaixou a bolsa de criptomoedas para neutra e cortou sua meta de preço, citando o aumento da volatilidade no setor.

Netflix – A Netflix caiu 2,1% depois que o Barclays reduziu sua meta de preço para o serviço de streaming de US$ 275 para US$ 170, antecipando uma perda de assinantes no segundo trimestre em meio ao aumento da concorrência.

Rocket Companies – As ações da fintech de consumo saltaram 5,5% depois que a Wells Fargo a elevou para uma classificação de sobrepeso e disse que a Rocket está preparada para um grande retorno depois de cair mais de 42% este ano. Apesar de um “cenário de hipotecas difícil”, a Rocket “continuará a conquistar participação de mercado de seus pares”, disse Wells Fargo.

Rivian – A fabricante de veículos elétricos subiu mais de 10% depois de dizer que está a caminho de entregar 25.000 veículos este ano. Em seu trimestre mais recente, a Rivian disse que produziu 4.401 veículos e entregou 4.467, em linha com as expectativas da empresa.

Ações de energia – As ações de energia caíram na quarta-feira, com o petróleo continuando sua queda a partir de terça-feira, caindo para cerca de US$ 95 o barril. O setor de energia do S&P 500 caiu 4%, com as ações da Marathon Oil, Conocophillips e Halliburton caindo 5,1%, 3,9% e 4,1%, respectivamente. A Occidental Petroleum enfraqueceu 2,5%, enquanto a Exxon Mobil caiu 3,8%.

Ações de cruzeiros – A Norwegian Cruise Line Holdings caiu 9,6%, a Royal Caribbean caiu 5,9% e a Carnival diminuiu 6,7% devido à preocupação com a demanda de navios de cruzeiro no segundo semestre. A Norwegian disse que não exigirá mais que os hóspedes testem o Covid-19 antes de embarcar em um cruzeiro, a menos que exigido pelos regulamentos locais.

— Tanaya Macheel da CNBC, Samantha Subin e Sarah Min contribuíram com reportagens

Ismael Inacio